Conjunto industrial Gessy Lever (Foto: Cristiano Mascaro)

Considerações sobre o projeto de edifícios industriais | Por Paulo Bruna

Organização e racionalização

O projeto arquitetônico organiza e racionaliza o percurso de muitos e diferentes fluxos, de modo a lhes conferir uma interdependência ao mesmo tempo adequada e econômica. Os principais fluxos a resolver são os das matérias-primas, dos produtos em fabricação, dos produtos acabados, das utilidades e dos operários (figuras 1 e 2). Cada fluxo tem sua própria lógica, seu espaço necessário preferencial e seu custo de movimentação. Assim, por exemplo, as matérias-primas líquidas a granel são estocadas em tanques externos e transportadas por tubulações, geralmente aéreas, em pipe-racks. Ás matérias-primas sólidas em pequenas quantidades são descarregadas em docas e transportadas por empilhadeiras em pallets. As matérias-primas geram espaços específicos dentro de uma fábrica: recebimento e controle, pátio de caminhões, pátio de tanques, docas, pipe-racks, elevadores, silos, esteiras rolantes etc. A movimentação dos produtos em fabricação dentro de uma indústria tem recebido uma atenção constante, visando sua racionalização e otimização. Assim, por exemplo, a verticalização de determinados processos de fabricação, de modo a aproveitar as vantagens da força da gravidade, a robotização das transferências, a proximidade física das linhas de fabricação são preocupações constantes da engenharia de produção.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante