Conteúdo Hunter Douglas: Controle solar na arquitetura mineira

O Centro Cultural Presidente Itamar Franco e o complexo educacional, esportivo e cultural da Fundação Zerrenner, inaugurados em 2015 e 2016, respectivamente, em Minas Gerais, contam com brises Hunter Douglas® em suas fachadas para filtrar a passagem da luz do sol - garantindo temperatura amena, sem prejudicar a luminosidade -, além de permitir excelente resultado estético aos projetos

Belo Horizonte ganhou em 2015 um conjunto cultural e institucional onde estão concentrados a Sala Minas Gerais, as sedes e estúdios da Rede Minas de Televisão e Rádio Inconfidência, além de um casarão tombado que foi restaurado para abrigar restaurantes.

O projeto, resultado de parceria entre os arquitetos Jô Vasconcellos, Rafael Yanni e José Augusto Nepomuceno (consultor em acústica), estabelece entre as edificações uma ampla praça pública, que é, em parte, coberta por pergolado. Alguns de seus módulos contam com brises Hunter Douglas®, grupo presente em mais de 100 países e líder mundial em soluções para controle solar. “As sombras rendilhadas criam conforto para os usuários que vão desfrutar do espaço. À noite, os brises recebem iluminação programada, causando grande efeito estético e acolhedor”, comenta Jô. A solução escolhida, o Aeroscreen Curvo, também foi aplicada na fachada norte do edifício que abriga a TV e Rádio, cujos espaços de trabalho necessitam de maior conforto térmico e eficiência energética. A arquiteta explica que os brises foram fixados em ângulo pré- determinado, segundo as necessidades dessa face.

No entanto, esse sistema também pode ser móvel (manual ou motorizado). Devido às características de seus componentes e a seu baixo peso (5,75 Kg/m2), pode ser instalado em planos retos, curvos ou inclinados, em obras novas ou retrofits, e também como controle solar zenital e forro decorativo.

“O produto especificado é uma solução eficaz na proteção solar, possui comprimentos variáveis que puderam ser adaptados na modulação do projeto. Além do mais, tem formas e acabamentos impecáveis, que enriqueceram a estética e a volumetria proposta e alcançada”, explica Jô Vasconcellos. A mais nova escola da Fundação Zerrenner no país – inaugurada em 2016, em Sete Lagoas, a cerca de 70 quilômetros da capital mineira – também utilizou brises Aeroscreen para amenizar a insolação em suas salas de aula, mas no modelo “plano”. De acordo com Gustavo Penna Arquitetos e Associados, escritório responsável pela obra, “com esse produto, que tem os painéis perfurados, conseguimos evitar quase completamente a incidência direta do sol, porém mantendo níveis adequados de iluminação e ventilação, garantindo, assim, conforto térmico nos interiores”.

O escritório acrescenta, ainda, que a aplicação contínua dos brises garantiu unidade visual, com os panos de parede e de vidro em segundo plano, e reforçou a horizontalidade do conjunto composto por três blocos (dois educacionais e um cultural/esportivo) conectados por uma praça. Foram instalados perfis internos para vencer os módulos maiores que 3 metros e os painéis, que são fixos, tiveram a angulação definida pela arquitetura.

 

www.hunterdouglas.com.br

11 2135-1002

 

*O conteúdo do Acervo PROJETO está em constante atualização. Algumas matérias publicadas podem apresentar textos em desacordo com as regras ortográficas atuais, bem como imagens em menor resolução que o ideal, ou mesmo a falta delas. Ajude-nos a atualizar o site enviando mensagens aqui.