Com 18 metros de altura, o átrio é um lugar de acolhimento (Foto: Nelson Kon)

Brasil Arquitetura: Museu do Trabalho e do Trabalhador, São Bernardo do Campo, SP

Esta é uma matéria diferente das matérias que publicamos usualmente porque se trata de um projeto em transformação. Está dito aqui que é o Museu do Trabalho e do Trabalhador, mas, projetado como tal, a sua construção foi finalizada no segundo semestre de 2020 para abrigar a Fábrica de Cultura 4.0 de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. A construção, por sua vez, demanda ainda alterações estruturais para operar integralmente. A matéria, então, é a celebração do fim de um imbróglio que envolveu os arquitetos e que parecia destinar à ruína o equipamento de utilidade pública.

Em 25 de junho de 2020, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo recebeu as chaves de um imóvel novo, mas desocupado, em São Bernardo do Campo, para nele instalar a Fábrica de Cultura 4.0 do município do ABC Paulista, denominação alusiva às atividades voltadas à formação em tecnologia e inovação. Quase um ano antes, em 30 de julho de 2019, a referida secretaria junto com a Prefeitura de São Bernardo do Campo obtiveram a autorização da Justiça Federal para prosseguir com as obras do prédio – quase pronto, mas com a construção paralisada desde o final de 2017 – idealizado pelo Brasil Arquitetura para acolher o Museu do Trabalho e do Trabalhador. Um ano antes da paralisação, o final do mandato de Luiz Marinho (PT) na prefeitura de São Bernardo do Campo fora marcado pela Operação Hefesta, da Polícia Federal, embasada por denúncia feita pelo Ministério Público Federal sobre possíveis irregularidades na construção do equipamento.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante