Foto Ludmila Ferolla

Avenida Paulista: A harmonia e a melodia de uma orquestra onde cada instrumento ensaia sozinho | Por Ruth Verde Zein

A avenida Paulista é a versão cabocla e piorada da Quinta Avenida? A arquitetura do vidro é uma importação descabida? A arquitetura bancária representa o monumentalismo e a dominação econômica? A avenida Paulista não tem significado na arquitetura brasileira? Da perspectiva de seus edifícios em altura, há muito o que pensar sobre a avenida Paulista. Mas serão essas as questões importantes? E afinal o que é, hoje, a avenida Paulista?

São 92 edifícios em altura, incluindo-se os em construção, sem contar com os terrenos semi-vazios fechados por imensas placas de alguma construtora. Apenas catorze são residenciais; esses e outros sete foram realizados até fins da década de 70; os restantes setenta são dos últimos quinze anos, projetados por renomados arquitetos brasileiros – e alguns poucos por conhecidos decoradores e desenhistas.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante