Eólo Maia, uma trajetória com o espírito de Minas e muita festa | Por Haifa Yazigi Sabbag

Éolo Maia fez da vida uma festa. Boêmio, irreverente, deixou, aos 60 anos de idade e 35 de profissão, uma obra extensa, polêmica e de impacto, construída com muita seriedade

Em 1985, já com um número significativo de obras realizadas, Éolo Maia foi definido pelo arquiteto Pitanga do Amparo como autor de um pós-moderno brasileiro, caipira mesmo, idealizado com muito talento. Éolo aceitou isso com muito humor.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante