Arquitetura, vetor de racionalização no projeto de hospitais | Por Ruth Verde Zein

Com sua experiência profissional de 25 anos de projeto, e como sócio titular da Bross, dos Santos & Leitner desde I960, o arquiteto João Carlos Bross pode relatar em muitos exemplos como resolver as questões técnicas envolvidas num projeto de hospital, tendo desenvolvido com os demais titulares da empresa uma metodologia de trabalho onde um documento básico inicial, que é o "retrato falado" do futuro edifício e de sua operação, serve de instrumento para a elaboração do projeto, com alto grau de precisão e controle dos resultados.

Para Bross, os diferentes eventos que o projeto deve percorrer para uma boa conclusão baseiam-se nessa metodologia, como ele procura esclarecer em seu curso de Planejamento Físico de Equipamentos de Saúde, ministrado no Programa Avançado de Administração Hospitalar e Sistemas de Saúde (Prohasa), da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas e do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, onde é professor desde 1978.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante