Arquitetura Mineira: Como entender, proteger e viver a cidade | Por Marco Aurélio Nunes Ferreira de Queiroz

Uma cartilha de linguagem acessível e apoio visual e ilustrativo; um instrumento de mediação entre os planejadores e a comunidade local; uma contribuição para a democratização do planejamento urbano. São esses os objetivos da Fundação João Pinheiro, através de seu Programa de Disseminação de Estudos e Pesquisas, ao editar e promover o estudo de algumas cidades mineiras.

Sendo uma atividade técnica, o planejamento urbano não deixa de ter sempre um caráter político, pois a luta pela “cidadania plena” será a conquista por toda a comunidade do direito à opinião, emprego, habitação, transporte, educação, saúde, cultura, lazer, enfim, à realização dos desejos e vontades humanas, ou, ainda, a busca da liberdade. A democracia, entendida sob esse prisma, e a recente mobilização nacional colocam uma questão: como levar à discussão da comunidade o conteúdo de um trabalho técnico que tem sua expressão em relatórios escritos numa linguagem especializada de difícil assimilação?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante