Pavilhão dos Descobrimentos - Javier Feduchi Benlliure

Arquitetura em exposição: Sevilha 92

Eventos internacionais e concursos de arquitetura têm em comum serem ocasiões-propícias ao encontro de pessoas, troca de ideias e concretização de realizações excepcionais. Por isso, não faltam também momentos de debate e até mesmo de desencontros de opiniões. Se ambos estão juntos, as oportunidades em todos esses sentidos crescem exponencialmente. A Exposição Universal Sevilha 1992 reúne todos esses ingredientes.

A comemoração dos quinhentos anos do descobrimento da América por Colombo serviu de pretexto para promover uma “celebração do gênio descobridor do homem”, como querem seus organizadores, para recolocar a capital da Andaluzia no plano de importância europeia e mundial que havia tido nos séculos XV a XVIII, para repetir triunfalmente o evento da exposição ibero-americana de 1929,: para reativar-economicamente a região com o apoio da construção civil (sempre útil nesse sentido), para acender o debate arquitetônico com obras de destacados arquitetos, para enfatizar uma das maiores potencialidades da região, o turismo, para estreitar os laços culturais com o mundo hispânico e as Américas e para atualizar a Espanha no concerto da euforia construtiva e monumental da Europa dos anos 80.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante