Arnaldo de Albanesi: Edifício Queen Elizabeth, São Paulo

Na fachada, as varandas têm estética e movimento.

A concepção arquitetônica do Edifício Queen Elizabeth parte de um pilar triangular frontal que apoia as varandas previstas pelo programa e cuja dimensão (40 m2) dificultava sua disposição em balanço. Assim, um elemento que podia ser considerado ponto negativo dentro do contexto da edificação passou a caracterizar o volume e o movimento da fachada, definindo ao seu redor a posição das varandas alternadas.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante