Arena Corinthians: Cobertura

O principal desafio do projeto da cobertura da Arena Corinthians está no formato retangular do estádio, diferente da maioria daqueles que usam estruturas cabeadas no fechamento superior. Apesar da aparente simplicidade, a forma é complexa, tendo diversas geometrias, diferentes tipos de nós e incidências de cargas

A concepção da cobertura da Arena Corinthians surgiu com a necessidade de unir as arquibancadas dos blocos leste e oeste, evitando que ficassem isolados, e criar uma imagem virtual de estádio fechado, apesar de duas laterais abertas. Segundo o arquiteto Aníbal Coutinho, “a partir do exterior não é possível ver a parte enterrada das arquibancadas inferiores em direção ao campo, vê-se apenas o patamar acima dele, onde estão as arquibancadas superiores”. Além de ser o elo entre os blocos, a cobertura serve de interligação técnica superior para a iluminação utilizada na tecnologia de TV 4K. O escritório alemão Werner Sobek é o responsável pela concepção do projeto estrutural e cálculos da cobertura. A execução foi realizada pelo consórcio entre as empresas brasileiras Brafer Construções Metálicas e Alufer, responsáveis pelo detalhamento, fabricação, pintura, transporte, pré-montagem e montagem das estruturas metálicas da cobertura do estádio e do prédio oeste.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante