Ana Beatriz Campos: Residência, Belo Horizonte-MG

Ocupando pouco mais que 1/3 do lote de 1000 m2, em declive, a casa está implantada na parte mais próxima da rua, mas suas aberturas concentram-se nos fundos, de onde se descortina a paisagem.

Minimalismo à mineira
Esse tratamento é, segundo a autora, intencional: à frente, o recato; ao fundo, a generosidade com o que é pessoal. Um corte na parte frontal do terreno reduziu o declive e a terra foi transposta para os fundos, formando um platô, sobre o qual se estende a piscina. No outro extremo lateral, conservou-se o traçado existente antes da intervenção.Além da edificação principal, com sala, dormitórios e áreas de serviço, foi implantada no fundo do terreno, em volume autônomo, a casa de hóspedes, à qual se tem acesso pela lateral da piscina; semi-enterrada, ela amplia a área construída sem obstruir a visão do horizonte. A entrada social é feita pela lateral, que se abre para uma sala de pé-direito duplo. A porta estreita e alta (5,90 m), recurso utilizado em outras obras da arquiteta, permite, segundo a autora, trabalhar com um mínimo de elementos visuais.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante