A Revolução portuguesa e a política de habitação e urbanismo segundo Nuno Portas

O arquiteto Nuno Portas, ex-secretário do Estado Português para Assuntos de Habitação e Urbanismo, esteve em São Paulo no dia 30 de junho último a convite do IAB-SP. O tema de sua palestra, que se estendeu por todo o sábado, centrou-se na "Participação das Populações na Arquitetura e no Urbanismo e a Recente Experiência Portuguesa”. Na segunda-feira à noite, dia 3, numa mesa redonda bastante concorrida, Portas respondeu a dúvidas, principalmente políticas, que envolveram a execução do programa de habitação implantado em sua gestão. No dia 4, esteve no IAB-RJ onde resumiu a exposição feita em São Paulo, debatendo em seguida com o plenário.

Nuno Portas, formado pela Faculdade de Arquitetura de Lisboa, quando convidado a assumir o Ministério da Habitação e Urbanismo de Portugal, já possuía uma ampla bagagem e um projeto elaborado sobre habitação popular. Durante os 11 meses em que ocupou a pasta, numa fase de aguda transformação da estrutura social portuguesa, teve a oportunidade de conviver com os mais diversos interesses de setores da população e partidários que então eclodiam. De sua exposição, foi possível ter-se informações concretas de um processo vivo e recente do que seja, na prática, um país se modificando após longo período de ditadura. O comportamento das massas, as exigências dos partidos, a esquerda se colocando, os arquitetos e seu universo reagindo, o aparelho de Estado, a política.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante