A casa, a cidade, a arquitetura na obra de Mario Botta

O modernismo não morreu - evoluiu... Modificou-se e, o que é melhor, não se chama pós-modernismo. Charles Jencks vende menos, enquanto a América do Norte e o Japão abrem as portas para esse modernismo evoluído. Prova disso é a receptividade desses mercados ao trabalho do arquiteto Mario Botta, certamente fruto do Movimento Moderno.

A torre une as duas frentes, reconstituindo a esquina e recompondo o tecido urbano. Detalhe da fachada mostrando o desenho dos tijolos aparentes de revestimento e as aberturas circulares do último pavimento

 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante