A atividade bancária e sua arquitetura | Por Hugo Segawa

Iniciar um texto com citações – e bastante longas – pode aparentar pernosticismo de quem as evoca. No entanto, sou compelido a isto para tentar situar algumas referências quanto à evolução de um programa arquitetônico que se tem mostrado pródigo em acrobacias arquitetônicas – sem desmerecer, no entanto, as contribuições deste exercício de projeto e construção.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante