(Foto Herman Hertzberger)

4ª BIA – Holanda: Grandes nomes da arquitetura holandesa do pós-guerra reinterpretam a tradição do movimento modernista

Com uma das maiores e mais importantes presenças na bienal, a Holanda trouxe para São Paulo três mostras diferentes, três marcos de sua arquitetura modernista: o casal Aldo e Hannie van Eyck, que começou a trabalhar nos anos 40; o arquiteto Herman Hertzberger, famoso a partir da década de 60 por explorar e estender as fronteiras da tradição modernista; e o escritório Mecanoo Architecten, criado nos anos 80. Os três têm raízes comuns na cidade de Delft. Além disso, os três se ligam ao movimento moderno e reelaboram seus conceitos sem uma ruptura com a geração precedente. Aldo van Eyck morreu em 14 de janeiro de 1999.

Ampliação da loja Vanderveen, Assen
Herman Hertzberger

Os projetos do arquiteto Herman Hertzberger revelam certo conteúdo filosófico, dialético, reforçando o papel da arquitetura como agente catalisador de pequenas mudanças sociais. Daí deriva sua preocupação em mesclar espaços, desprezando a separação rígida entre ambientes úteis e inúteis, criando áreas para encontros informais e valorizando as zonas de transição entre espaços públicos e privados ou entre interior e exterior.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante